segunda-feira, 28/01/2019
Boas Práticas

Escolas da rede contam com projetos de acolhimento de novos alunos

Além de promover a socialização, iniciativa envolve e aproxima a escola do estudante na primeira semana do ano letivo

Na próxima sexta-feira (1º), os 3,6 milhões de alunos da rede retornam às aulas nas 5 mil unidades de ensino de todo Estado de São Paulo. Com as férias escolares chegando ao fim, voltar às aulas é sempre um período de mudanças e adaptações para os estudantes. 

Pensando nisso, a Secretaria de Estado da Educação conta anualmente com um projeto de acolhimento no início do ano letivo em todas as unidades de ensino. Neste ano, as atividades serão realizadas a partir do dia 4 de fevereiro.  

A ideia é que cada uma delas desenvolva ações que promovam o fortalecimento do vínculo entre alunos e novos alunos com rodas de conversa, visitas aos espaços, vivências de projeto de vida, entre outras. Ainda, a iniciativa é importante para estabelecer um primeiro contato com funcionários da escola.  

“O acolhimento é necessário em dois aspectos, porque cria um clima propício para o começo de ano e tenta fazer com que o jovem mude o entendimento da escola e perceba como ela pode contribuir com o seu projeto de vida”, afirma Helena Achilles, técnica do Departamento de Desenvolvimento Curricular e de Gestão da Educação Básica (DEGEB) da CGEB. 

A proposta é inspirada em uma prática já desenvolvida pelas Escolas de Tempo Integral. Além de promover a socialização, ela é importante para estimular diferentes habilidades dos estudantes a partir do planejamento de cada ação. 

“Os alunos ficam ansiosos para conhecer os colegas que chegarão e preparam tudo. Eles passam por treinamento e os professores também estão muito engajados para começar o ano letivo”, comenta Osmar Francisco de Carvalho, diretor da E.E. Professor Milton da Silva Rodrigues, unidade de Tempo Integral localizada na Zona Norte. 

Para isso, foram feitas reuniões com integrantes de Grêmios Estudantis para colocar em prática as atividades de acolhimento. Os estudantes selecionados e formados para serem os Jovens Acolhedores conduzirão esse processo nas escolas ao lado dos gremistas.