segunda-feira, 26/10/2015
Pais e Alunos

Especialistas comentam sobre a reorganização escolar

A medida entrará em vigor no próximo ano de 2016

A medida de organizar os alunos por ciclo é um método de ensino que pretende aprimorar e fortalecer a gestão das escolas da rede estadual de ensino. A partir de 2016, as escolas serão redistribuídas para atender com ciclo único, ou seja, com estudantes de uma faixa etária, dos seis aos dez anos, 11 aos 14 anos ou 15 aos 17 anos. Entenda mais sobre a reorganização aqui

Siga a Secretaria da Educação no Twitter e no Facebook

Dessa forma, será possível oferecer um ambiente escolar mais propício para que crianças, pré-adolescentes e adolescentes se desenvolvam com grupos compatíveis a sua idade. “Os professores vão fazer projetos focados naquele ciclo, vão se especializar e terão um foco maior nas crianças daquela idade, e elas poderão conviver com pessoas da mesma idade”, explica Ana Maria Diniz, diretora do Instituto Península.

O diretor executivo do Instituto Singularidades, Miguel Thompson, destaca também a necessidade da mudança nas escolas da rede. “A importância das escolas de ciclo único é que você consegue focar mais nas faixas etárias e nas necessidades das crianças dentro da escola. Então, por exemplo, você prepara o mobiliário e a sala especificamente, consegue manter o professor mais tempo na escola”, explica.

Os professores terão a oportunidade de atribuir aulas em uma única escola, diminuindo o deslocamento para outras unidades escolares. “Os professores dedicados aquelas escolas terão mais tempo de conhecer melhor o entorno e o estudante. Vão se dedicar mais sem precisar se deslocar de um lugar para o outro. É interessante, pois fragmenta menos o trabalho do professor e cria maior elo entre os estudantes da mesma faixa etária”, conclui.

A Educação utilizou como base para a reorganização escolar um levantamento realizado pela Fundação Seade (Sistema Estadual de Análise de Dados), que apontou tendência de queda de 1,3% ao ano da população em idade escolar no Estado de São Paulo. “Não podemos esquecer que o mundo mudou rápido. Hoje as famílias têm dois ou três filhos. Então, essa mudança que a gente fala demográfica faz com que a estrutura que era preparada para cinco ou seis filhos ficou muito grande. Sendo assim, as escolas estão começando a ter menos alunos e isso impacta muito na administração e na qualidade do serviço”, explica Miguel Thompson.

A reorganização escolar atua, ao lado de alunos, professores e comunidade escolar, a favor do aprimoramento da educação paulista. “A reorganização que o secretário da Educação, Herman Voorwald, está fazendo é no sentido da eficiência, eficiência na busca da melhor qualidade de aprendizado dos alunos”, diz Ana Maria.

Maria Lucia Montoro Jens, que trabalhou por 45 anos como diretora no Colégio Santa Cruz e atualmente integra o Conselho Nacional de Educação (CNE), acredita na melhora da educação paulista com a reorganização escolar. “Eu imagino que, certamente, essa nova reformulação do Governo do Estado de São Paulo representará para pais, alunos e professores, um salto de qualidade no ensino”.  

Página exclusiva para a reorganização

A Educação reuniu em uma página todas as informações sobre a reorganização da rede estadual paulista. No endereço é possível conhecer mais detalhes sobre a proposta que visa ampliar o número de escolas com ciclo único e desta forma melhorar a qualidade de ensino. Vale ressaltar que a lista de escolas que passarão a funcionar com ciclo único só será definida após reuniões entre diretorias e comunidade.

– Clique aqui e acesse a página.