sexta-feira, 14/02/2014
Releases

Futuros professores podem participar de programa inovador de residência da Educação

Inscrições para concorrer a 9 mil bolsas do projeto de estágio chamado ‘Residência Educacional’ podem ser feitas até o dia 27  A Secretaria da Educação do Estado convoca os futuros professores a participar do Programa Residência Educacional. O modelo de estágio pioneiro oferece bolsas de R$ 600 para que estudantes de licenciatura tenham a primeira […]

Inscrições para concorrer a 9 mil bolsas do projeto de estágio chamado ‘Residência Educacional’ podem ser feitas até o dia 27

 A Secretaria da Educação do Estado convoca os futuros professores a participar do Programa Residência Educacional. O modelo de estágio pioneiro oferece bolsas de R$ 600 para que estudantes de licenciatura tenham a primeira experiência no ensino. As inscrições para o processo seletivo podem ser feitas até o dia 27 de fevereiro. No total, são 9 mil vagas para todo o Estado. Mais informações no Portal da Educação: www.educacao.sp.gov.br.

 Implantado no ano passado, o programa foi inspirado na residência médica e objetiva que os participantes adquiram conhecimento da prática nas escolas estaduais, com toda a supervisão dos gestores da Secretaria.

No próximo dia 24, mais de 800 novos residentes começam a atuar nas unidades escolares. Somados aos 1.159 que já iniciaram com o programa, são cerca de 2 mil futuros professores que aprendem com a rotina escolar da rede estadual de ensino.  Até 2013 o programa estava em 44 Diretorias de Ensino e agora foi expandido para todas as 91 administrações regionais.

 O Residência Educacional possibilita que o universitário participe de todas as atividades escolares, inclusive na sala de aula e na programação pedagógica, sempre em conjunto com o professor titular. O estudante selecionado atua por 12 meses na escola e o prazo pode ser renovado por igual período. Além do aprendizado na prática, o residente recebe bolsa mensal de R$ 420 e auxílio-transporte de R$ 180.

 “O residente da educação é um papel novo que aproxima o futuro professor da educação pública. É um projeto que agrega qualidade na formação e no aprendizado oferecido pelas nossas escolas”, afirma o secretário da Educação, professor Herman Voorwald.

 A participação no programa, voltado para o Ensino Fundamental e Médio, é válida como as horas de estágio obrigatórias para os cursos universitários de licenciatura. O projeto começou em agosto e já estão atuando na rede estadual alunos de cursos como história, ciências biológicas, matemática e letras. A carga horária diária é de até 6 horas, não ultrapassando 15 horas semanais.