quinta-feira, 05/07/2012
Imprensa

Governo do Estado investe R$ 2,6 milhões em construção de escola na região de Marília

O secretário da Educação do Estado de São Paulo, Herman Voorwald, assina nesta quinta-feira convênio para construção da Escola Estadual Bairro Vila Nova, em Queiroz O secretário da Educação do Estado de São Paulo, professor Herman Voorwald, assina hoje (05/07) convênio para a construção da Escola Estadual Bairro Vila Nova, no município de Queiroz.  O […]

O secretário da Educação do Estado de São Paulo, Herman Voorwald, assina nesta quinta-feira convênio para construção da Escola Estadual Bairro Vila Nova, em Queiroz

O secretário da Educação do Estado de São Paulo, professor Herman Voorwald, assina hoje (05/07) convênio para a construção da Escola Estadual Bairro Vila Nova, no município de Queiroz.  O investimento será de R$ 2,6 milhões. Serão criadas 525 vagas.

Durante o evento, ao todo serão assinados convênios com 12 municípios, que beneficiam 13 escolas nas regiões de Bauru, Campinas, Marília, São José do Rio Preto, Sorocaba, Vale do Paraíba e Vale do Ribeira. No total, o aporte será de R$ 11,5 milhões.

“Investir na infraestrutura das nossas escolas é etapa fundamental para que o ensino paulista atinja nível de excelência, meta prevista pelo programa Educação – Compromisso de São Paulo”, afirmou o secretário da Educação, professor Herman Voorwald.

O investimento será feito em seis parcelas para os municípios, sendo 15% do total na assinatura, 20% ao atingir 15% de execução das obras, 20% quando os serviços estiverem 40% concluídos, 15% com 65% executados, 15% ao atingir 85%, quando paralelamente será repassada verba destinada à aquisição do equipamento e mobiliário, e o restante no término da construção. O convênio é válido por dois anos, podendo ser prorrogado por até 60 meses. As obras são geridas pelas prefeituras, que recebem o recurso do Estado. O terreno foi cedido pelo governo municipal.

Criado pelo governo paulista, o programa de Convênio de Obras Escolares visa à descentralização da gestão educacional, ao fortalecimento da autonomia do poder municipal e ao controle das atividades escolares pelas comunidades locais.