sexta-feira, 08/10/2021
Destaque

Governo de SP anuncia 2029 escolas do Programa Ensino Integral em 2022, com mais de um milhão de vagas

Serão 952 novas escolas, a partir do próximo ano letivo

O Programa Ensino Integral (PEI) vai ofertar mais de um milhão de vagas em todo o Estado, em 2029 escolas estaduais, em 457 municípios, a partir de 2022. Destas, 952 novas unidades passam a integrar a iniciativa a partir do próximo ano letivo. O anúncio da ampliação foi feito na tarde desta sexta-feira (8), pelo Governador João Doria e o Secretário da Educação do Estado, Rossieli Soares, em evento realizado no Palácio dos Bandeirantes, que reuniu dirigentes, diretores, coordenadores, estudantes e outros representantes das unidades educacionais.

O segundo processo de adesão de 2021, conduzido pela Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP), validou 171 escolas que estão em 103 municípios, dos quais 31 vão ter as primeiras PEI. Este grupo de 171 escolas se soma as 781 unidades anunciadas no último mês de julho. Atualmente, são 448 mil estudantes atendidos em 1077 escolas, de 308 cidades, de todas as 91 Diretorias de Ensino.

O governador Doria destacou a importância deste avanço na educação e a oferta de um ensino de cada vez mais qualidade. “A meta que era dezembro já está sendo atingida agora. São Paulo é o estado com o maior número de escolas de tempo integral em todo o Brasil. Alcançamos 2.029 escolas de tempo integral, quase seis vezes mais do que tínhamos dois anos e meio atrás”, afirmou.

Agora, o PEI passa a atender mais de 1 milhão de estudantes da educação básica. “No último anúncio falamos que em 2022 seriam 929 mil vagas em PEI. Considerando essas 171 novas escolas, são mais 97 mil vagas. Nosso grande esforço tem sido melhorar as condições e a nossa Educação em todos os aspectos. Então, transformar as escolas em ensino integral tem sido uma das missões”, diz Rossieli Soares.

Com o avanço, a partir do próximo ano letivo, serão 261 escolas do PEI de Anos Iniciais (1° ao 5°ano), 1563 de Anos Finais (6° ao 9°ano) e 1570 de ensino médio (que representam 18%, 42,6% e 43% da rede estadual, respectivamente).

“A minha expectativa é uma das maiores possíveis por que quanto mais tempo na escola o aluno vai se motivar a participar das atividades lá dentro, além da língua português e matemática, ele também vai ampliar seus horizontes porque vai ter muita coisa bacana para incentivar os jovens a continuarem estudando”, comenta Bianca Menezes, 17, embaixadora do Centro de Mídias SP, que cursa o 2º ano do Ensino Médio da EE Prof. Jose Maria Peres Ferreira, em Carapicuíba.

O anúncio

Além dos profissionais de educação presentes, como dirigentes regionais, professores e diretores, participaram do evento alunos das escolas contempladas com a expansão do Programa Ensino Integral.

Entre eles, estava a estudante Laura Correia Vieira, 7, da Escola Estadual Major Marcelino, da zona Norte da Capital, que acaba de ser alfabetizada e cursa o 1º ano dos Anos Iniciais, foi convidada, junto de outras colegas, para ir ao palco, onde leu um bilhete apresentado pelo Secretário Rossieli Soares, e anunciou: “A sua escola será integral”.

“Na pandemia não deu para aprender muito bem. Agora, com o período integral, vai dar para aprender mais”, disse outra aluna da escola, a Maria Eduarda Pinho Modesto, 8, que também está no 1º ano dos Anos Iniciais.

Modelo que potencializa a formação integral

Criado em 2012, o PEI potencializa a melhoria da aprendizagem e o desenvolvimento integral dos estudantes, nas dimensões intelectual, física, socioemocional e cultural, por meio de um modelo pedagógico articulado a um Modelo de Gestão.

São trabalhadas práticas pedagógicas, como Tutoria, Nivelamento, Protagonismo Juvenil com Clubes Juvenis e Líderes de Turma, além de componentes curriculares específicos, como Orientação de Estudos e Práticas Experimentais, que potencializam a formação integral do estudante a partir do seu Projeto de Vida.

Mais escolas

O número de escolas do PEI irá aumentar em quase 6 vezes em comparação a 2018, quando o programa estava presente em 364 unidades escolares. Eram ofertadas 115 mil vagas.

Dentro do Plano Nacional de Educação (PNE), a Meta 6 – Educação Integral – prevê em seu objetivo 2 que em 2024, no mínimo, 25% dos alunos da Educação Básica sejam atendidos em jornadas de mais de 7 horas. Com as novas PEIs, São Paulo atinge este objetivo, no âmbito de sua rede estadual, já em 2022.

IDEB e alcance

Os investimentos na jornada integral refletem em melhores notas no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) já no primeiro ano de implantação do programa.

– Escolas PEI cresceram 1,2 pontos no IDEB 2019, enquanto as regulares, 0,6.
– Das escolas estaduais de São Paulo, as 33 melhores colocadas no ranking são PEIs.
– 9 das 10 primeiras colocadas de ensino fundamental são PEIs.

95% de satisfação

Em agosto de 2020, a Seduc-SP avaliou a percepção de 13 mil professores e 121 mil estudantes da rede pública estadual envolvidos no PEI:

– De 0 a 10, os professores recomendariam 9,1 as escolas em que atuam aos colegas de profissão;
– De 0 a 10, os estudantes recomendariam 8,5 as escolas em que atuam aos colegas;
– 95% dos professores se sentem satisfeitos ou muito satisfeitos em atuar nas escolas.