segunda-feira, 14/12/2020
Sociedade

Pais com filhos hospitalizados recebem apoio emocional em projeto da USP

Acompanhantes de crianças e jovens internados em hospitais são estimulados a se conscientizarem e cuidarem psicologicamente de si mesmos

Passar por uma internação hospitalar nunca é uma situação fácil, quanto mais para uma criança ou um adolescente. Muitas incertezas, medo e insegurança emergem e tais sentimentos não afetam apenas os jovens mas também os pais ou parentes que os acompanham. Os responsáveis pela criança se cobram todo o tempo, mesmo quando não têm condições de ajudar.

Coordenado pela professora Lucila Castanheira Nascimento, o projeto da Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto (EERP) da USP Integrando Familiares e Acompanhantes em Enfermaria de Pediatria: Uma Proposta de Ação foi criado justamente pensando em assistir pais e acompanhantes neste momento tão delicado. Desde sua criação em 2003, o projeto tem o intuito de envolver esses acompanhantes no hospital, convidando-os para conversar com outros na mesma situação, trocar experiências e pensar neles mesmos por um tempo.

Essas atividades são desenvolvidas por alunos bolsistas e voluntários que não só estimulam o acompanhante a participar, mas oferecem apoio emocional ao fazer, eles mesmos, companhia ao jovem ou à criança, para que os pais se sintam mais seguros em sair de perto de seu filhos e participar dos eventos preparados pelos membros do projeto. São conversas, jogos, orientações e aconselhamento financeiro, entre outras atividades. As mães, por exemplo, informa a professora Lucila, podem ganhar um dia de beleza. Todas essas atividades são organizadas para que os acompanhantes possam dar um tempo, ficando longe da responsabilidade excessiva que sentem pela segurança da criança.

E esse cuidado com os acompanhantes dos jovens hospitalizados também atinge a figura paterna que, segundo Lucila, deve estar mais presente nesse momento. A professora diz que, como não há estrutura para que pai e mãe estejam presentes ao mesmo tempo, prevalece “a visão de que é obrigação apenas da mãe de estar junto à criança”. Mudar essa ideia é objetivo do projeto que usa o tempo a seu favor para alcançar o êxito.