quarta-feira, 26/03/2008
Últimas Notícias

São Paulo assina pacto pela educação no Brasil; adultos terão cursos profissionalizantes

 Planos federal e estadual convergem e indicam metas para a Educação São Paulo aderiu nesta sexta-feira, 28 de março, ao Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE). A secretária de Estado da Educação, Maria Helena Guimarães de Castro, assinou o documento na companhia do ministro da Educação, Fernando Haddad. Com isso, o Estado fecha parceria com […]

 Planos federal e estadual convergem e indicam metas para a Educação

São Paulo aderiu nesta sexta-feira, 28 de março, ao Plano de Desenvolvimento da Educação (PDE). A secretária de Estado da Educação, Maria Helena Guimarães de Castro, assinou o documento na companhia do ministro da Educação, Fernando Haddad. Com isso, o Estado fecha parceria com o governo federal para adesão a projetos de melhoria na educação. Dois estão definidos: ensino profissionalizante para jovens e adultos e realização da Provinha Brasil, avaliação para alunos da 2ª série do Ensino Fundamental.

A Provinha Brasil irá complementar a avaliação estadual, o Saresp, que anualmente é realizada. Será para a 2ª série, com averiguação diagnóstica, ou seja, para uso das escolas e de seus profissionais. O curso profissionalizante para jovens e adultos (EJA profissionalizante) vai de encontro às medidas já anunciadas pela Secretaria, com cursos técnicos para o Ensino Médio.

Após a assinatura, governos estadual e federal irão definir detalhes e possíveis adesões a novos projetos. O Estado se compromete a cumprir 28 pontos estipulados pelo Ministério. E o Ministério oferece projetos a serem realizados em São Paulo.

“Já estamos cumprindo os 28 pontos. E vamos além. Estamos com mudanças importantes, já em andamento por todo o Estado”, afirma a secretária Maria Helena.

O governo do Estado apresentou ao ministro seu plano de metas e ações para a Educação, lançado já em agosto de 2007. As mudanças que vêm sendo realizadas na rede foram informadas.

Assim como o Plano do governo federal, o governo paulista mira em melhorar a qualidade da Educação. Por isso vem implantando medidas inovadoras, como criação de metas por escola, expectativas de aprendizagem e novas recuperações para os alunos em dificuldade, incluindo 42 dias iniciais focados em língua portuguesa e matemática.

São Paulo vem vencendo o desafio da inclusão, com 98,6% das crianças de 7 a 14 anos em escola e 90% dos jovens de 15 a 17 anos estudando. O objetivo agora é melhorar cada vez mais o aprendizado oferecido. A primeira das 10 metas paulistas, até 2010, é alfabetizar todas as crianças do Estado com 8 anos de idade. Outra meta é reduzir em 50% as taxas de reprovação na 8ª série do Ensino Fundamental, além de reduzir em 50% os índices de reprovação no Ensino Médio.