sexta-feira, 20/07/2018
Boas Práticas

#MêsdaEducação: estratégias que ajudam no desempenho escolar

Técnicas como “Sala de Aula Invertida” e “Dupla Produtiva” são utilizadas nas escolas da rede

Em Mês da Educação, nada como divulgar algumas estratégias diferentes que são utilizadas pelos professores para garantir aos estudantes um melhor aproveitamento do conteúdo das disciplinas. Alguns educadores têm utilizado as metodologias da “sala de aula invertida” e da “dupla produtiva”.

A sala de aula invertida é algo bem simples, basta disponibilizar o conteúdo para que o aluno tenha acesso, antes da aula que será dada em classe. Para que isso aconteça, os professores têm à disposição uma gama variada de recursos tecnológicos a seu favor. Pode ser um PDF em drive, um podcast ou até mesmo aulas em vídeos no Youtube.

O professor Pedro Real Neto, da EE Santos Amaro da Cruz, faz uso do site de vídeos mais famoso do mundo. Lá, ele coloca o conteúdo do que pretende debater em sala e pede para que os alunos estudem. Depois, a aula presencial acontece de maneira mais leve, onde os alunos tiram algumas dúvidas e resolvem exercícios. “E o ganho é enorme. Quando o aluno vem com o conteúdo pré-estudado sobra tempo e a gente explora mais assuntos”, explica o educador.

Um de seus alunos, o Matheus Aurélio Oliveira de Carvalho, não acreditou que o método fosse eficaz, no primeiro contato. Mas, com o tempo, “a gente viu que dava certo a atividade e eu me interessei mais sobre o novo método de estudo”, afirma. A estudante Lais caviquioli, que atualmente estuda na Santos Amaro da Cruz, relata que conheceu o método com um de seus professores da antiga escola. “Eu vim para cá na 1ª série do Ensino Médio e meu antigo professor de Matemática não tinha um canal no Youtube, mas indicava alguns sites para a gente acessar que ajudariam nas lições de casa, para depois ele tirar as nossas dúvidas na sala”, explica a aluna.

A chamada dupla produtiva é também uma técnica muito interessante. Em todas as séries, sempre haverá um aluno com maior facilidade de aprendizado e outro que apresenta uma certa dificuldade com a matéria. É nessa hora que o professor ou a professora precisam ter sensibilidade para promover trabalhos em duplas e não colocar em risco a aprendizagem.

Na escola Dep. Raul Pilla, duas professoras se juntaram para realizar uma atividade que uniu a Língua Inglesa, a Matemática e o Currículo+, plataforma de aprendizagem online da Secretaria da Educação. Logicamente, nem todos os alunos apresentavam a mesma facilidade nas três disciplinas. Foi então que elas decidiram montar as duplas produtivas.

Com uma tabela simples já é possível elencar quem deve se sentar com quem. Fernanda Vitorino, professora de Matemática, evidencia que “às vezes o aluno tem dificuldade na Matemática, mas tem facilidade em trabalhar com aquela tecnologia. Então, na hora que a gente faz essa dupla produtiva eles vão trabalhar juntos, vão discutir, vão trocar ideias sobre isso. E, nessa união, por ele se sentir no mesmo nível que o outro, ele acaba se destacando e se revelando, e indo muito melhor do que iria na sala de aula com giz e caderno”, esclarece.

Estas são ferramentas que colocam os alunos em uma posição de protagonistas do seu processo de aprendizagem, ampliando e estimulando o trabalho em equipe e a construção do conhecimento colaborativo.